Noticia

CPR-PR participa de Congresso de HIV/Aids e promove evento sobre Cannabis

Participações reforçam posicionamento antiproibicionista do CRP-PR

Atualizado em 17/10/2017

 

Estande do CRP-PR e Reduc localizado na Vila Social

 

Na última semana, o Conselho Regional de Psicologia do Paraná (CRP-PR) participou de um dos mais importantes congressos na área de HIV/Aids e Hepatites Virais, o 11º Congresso Brasileiro de HIV/AIDS e 4º Congresso de Hepatites Virais, sediado em Curitiba entre os dias 26 e 29 de setembro. 
O evento contou com apresentações de trabalho e palestras, e o CRP-PR esteve em parceria com a Rede Brasileira de Redução de Danos e Direitos Humanos (Reduc) em um estande na chamada Vila Social.

A Conselheira e Coordenadora da Comissão de Direitos Humanos, Sandra Regina Fergutz dos Santos Batista (CRP-08/02667), conta que uma das discussões nas quais o CRP-PR esteve presente foi sobre os aspectos relativos à adesão aos tratamentos de AIDS e Tuberculose. “Nossas discussões foram em torno de populações vulneráveis e sua adesão ao tratamento. População em situação de rua e usuários de drogas, por exemplo, que se movimentam bastante, têm características próprias, mas, quando bem acolhidas no sistema de saúde, aderem aos tratamentos. Uma dúvida comum, por exemplo, é sobre a interação do medicamento com outras substâncias psicoativas. Nosso posicionamento, embasado em estudos, foi de que é melhor seguir com uso da medicação, ainda que em paralelo a outras substâncias”, disse.

 

A gente defende que cada pessoa possa fazer as suas escolhas. Algumas pessoas vão ter problemas com as suas escolhas? Vão. Olha o número de pessoas sofrendo com obesidade nesse país, e elas não estão necessariamente usando drogas ilícitas.

 

Sandra destaca a importância da participação em eventos como este, pois a pauta da Redução de Danos fica em evidência. “Estes estandes foram cedidos pelo Ministério da Saúde e esta parte da Vila Social foi bem interessante”, avalia, lembrando também que os acadêmicos da Comissão de Estudantes foram voluntários no estande. “Foi muito interessante porque eles puderam visitar outros estandes e ter acesso a diversas informações sobre HIV/Aids em diversas populações.” 
Uma crítica da Psicóloga Sandra Fergutz foi com relação à programação, que deixou a parte científica ocorrendo em paralelo com a parte da Vila Social, que apresentava, no espaço Paulo Freire – no coração da Vila –, questões de manifestação popular, artística e científica.

 

Leia também: Redução de Danos: você sabe o que é isso?


Uso da cannabis na saúde

Na mesma semana, o CRP-PR foi protagonista da discussão sobre a descriminalização das drogas. Uma roda de conversa com três profissionais da área – Psicóloga Vera Da Ros (CRP-06/35841), o médico e neurocientista João Menezes e a Psicóloga Celi Cavallari (CRP-06/14802) – trouxe o debate antiproibicionista à tona e o amplo benefício da cannabis medicinal. “Descriminalizar as drogas não é incentivar o seu uso, mas reconhecer que a proibição não possui efeitos benéficos e, ao contrário, gera violência e deixa de tratar os eventuais danos advindos do uso problemático das drogas”, diz Sandra, referindo-se à Redução de Danos, que olha os usuários de drogas respeitando sua autonomia. “A gente defende que cada pessoa possa fazer as suas escolhas. Algumas pessoas vão ter problemas com as suas escolhas? Vão. Olha o número de pessoas sofrendo com obesidade nesse país, e elas não estão necessariamente usando drogas ilícitas”, declarou ela durante o evento. “A gente devolve a responsabilidade que hoje é da repressão para a pessoa”, completou.



Clique aqui para ouvir o áudio com os melhores momentos do evento.