Noticia

CRP-PR avança em aproximação com Movimento de População de Rua

Entre encaminhamentos da reunião está a orientação a profissionais da FAS

Atualizado em 08/08/2017

 

Imagem: Movimento Nacional da População de Rua

Psicóloga Sandra Fergutz Batista (CRP-08/02667) [ao centro, entre homem com camiseta vermelha e mulher com casaco claro], destacou importância de garantir direitos para as populações vulneráveis 

 

A Comissão de Direitos Humanos (CDH) do Conselho Regional de Psicologia do Paraná (CRP-PR) esteve presente na última quinta-feira (03) em um evento preparatório para o encontro de 10 anos do Movimento Nacional da População de Rua (MNPR). Pouco antes da atividade, que aconteceu no centro de Curitiba, o grupo presenciou a agressão de um adolescente e uma gestante em situação de rua na Praça Rui Barbosa. “A polícia fez a abordagem violenta na presença de agentes da FAS [Fundação de Ação Social]”, contou a Psicóloga Sandra Regina Fergutz dos Santos Batista (CRP-08/02667). “O CRP-PR e outras entidades, como a Defensoria Pública, estão apoiando a denúncia que será encaminhada ao Ministério Público, ao Conselho de Direitos Humanos e à Delegacia de Crimes de Ódio. Precisamos garantir os direitos de todos, em especial da população mais vulnerável”, afirmou a Psicóloga, que coordena a CDH.

 

Parceria

A aproximação com o MNPR amplia a atuação da Comissão de Direitos Humanos, que já prevê algumas ações em prol desta população. Além de apoiar e participar do encontro comemorativo previsto para os dias 29 a 31 de agosto, o grupo fará, juntamente com a Comissão de Orientação e Fiscalização (COF), uma atividade de orientação aos agentes da FAS. “É preciso conhecer as Psicólogas e Psicólogos que estão atuando neste contexto e garantir que eles estejam agindo de forma humanizada”, explicou Sandra.