Noticia

Nota de Esclarecimento

Alterações na rede de atendimento de Saúde Mental em Curitiba

Atualizado em 30/10/2017

Diante de informações publicadas na mídia, o Conselho Regional de Psicologia do Paraná (CRP-PR) vem a público esclarecer que tem acompanhado atentamente o cenário das políticas de saúde, em especial de Saúde Mental, em torno das alterações nas estratégias e na rede de atendimento à saúde mental que estão sendo propostas pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Curitiba.

Assim sendo, o CRP-PR vem protagonizando a discussão e acolhendo, por meio da Comissão de Psicologia e Saúde, Psicólogas(os), outros profissionais da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS) e usuárias e usuários dos serviços, incentivando o debate e buscando a construção coletiva através da análise de argumentos contrários e favoráveis às mudanças, debate este que ainda não está encerrado.

Em uma das iniciativas, a Comissão de Psicologia e Saúde da instituição realizou, no último dia 28 de setembro, uma reunião aberta para debater o cenário da Saúde Mental paranaense. No encontro, profissionais e usuários dos Centros de Atenção Psicossocial (Caps) apresentaram suas preocupações e ponderações face às mudanças propostas. Como resultado, foi constituído um grupo de trabalho com equipe multiprofissional que está atuando na elaboração de um parecer técnico sobre a proposta.

No mesmo sentido, a instituição solicitou uma reunião junto à Prefeitura Municipal de Curitiba, que foi realizada no dia 29 de setembro. Na oportunidade, a proposta de mudanças na estrutura da rede de atendimento foi apresentada a membros do CRP-PR pela coordenação de Saúde Mental da SMS.

Por entender que se trata de um assunto extremamente complexo que envolve questões essenciais como a qualidade dos serviços prestados, a proteção de uma estrutura que oferece condições de trabalho ético dos profissionais, o acesso da população aos mecanismos de assistência e o financiamento e a responsabilidade do Estado diante da saúde pública, o CRP-PR entende que é necessário aprofundar essa discussão, que não deve ser realizada de modo apressado e superficial.

Mantendo como prioritário seu compromisso com a construção coletiva das Políticas Públicas de Saúde, consequentemente a defesa do Sistema Único de Saúde, da Reforma Psiquiátrica e a Luta Antimanicomial, a instituição se coloca à disposição dos profissionais e do poder público a fim de amadurecer esse debate para que seja possível encontrar a melhor solução, que garanta as premissas da ética concernente à Psicologia e da proteção dos Direitos Humanos.

Você deseja participar das próximas reuniões ou tem um posicionamento sobre este tema? Encaminhe as informações ao CRP-PR pelo e-mail politicaspublicas08@crppr.org.br.